terça-feira, 30 de março de 2010

Moto Flex

O álcool não passa da melhor alternativa ao petróleo, para uma possível falta deste combustível, com o preço de produção alto, só de torna viável economicamente com os subsídios do governo que acontecem de tempos em tempos. Nem os caminhões das usinas utilizam álcool como combustível.
No caso das motos, as primeiras a álcool saíram no inicio do pro álcool na década de 80, mas não tiveram sucesso, e agora, tentam novamente com motores flex, oferecer uma possível economia, a meu ver insignificante.
Os motores elétricos, bem menos poluentes, já são uma realidade, e o álcool continua sendo uma alternativa a gasolina, a melhor alternativa, mas não mais que isso.
Toda vez que ouço falar em veículos a álcool ou etanol, seu nome mais atual, lembro do Gurgel e de sua campanha antiga, mas não ultrapassada “comida do solo, energia do subsolo: use gasolina”.

Carenagens

A moda atual é colocar carenagem nas motos menores para ficarem parecidas com as super bikes, como é o caso dessa Hao Bao, essa moda não agrada muito esse blogueiro, prefiro mais original .....




sexta-feira, 26 de março de 2010

Curitiba em Vespa 2010


De 4 a 7 de setembro de 2010, acontecerá o Curitiba em Vespa 2010, organizado pelos amigos da Motovespa do RS, PR e SP. maiores informações nos sites dos organizadores: www.confrariavespa.wordpress.com e www.scooteriapaulista.com.br

sábado, 20 de março de 2010

Felipe Zanol na GAS GAS do Brasil para a temporada 2010

GAS GAS do Brasil pretende estimular o motociclismo Off-Road em nosso país, criando mais uma equipe de alto nível para disputar campeonatos com outras grandes equipes já existentes.

A “Gas Gas Racing Team” vai disputar o Campeonato Brasileiro de Enduro (F.I.M.), o Campeonato Brasileiro de Cross Country e também, pela primeira vez, terá um piloto brasileiro disputando o Mundial de Enduro com patrocínio oficial de fábrica.

O mundial acontece na Espanha nos dias 11 e 12 de Abril de 2010.


O mineiro Felipe Zanol irá competir com a GAS GAS EC300.



A presença inédita de um Piloto brasileiro com patrocínio de fábrica, inaugura uma nova fase no esporte, sinalizando o reconhecimento pela GAS GAS - Espanha do alto nível de nosso piloto e do potencial de nosso mercado interno.


BMW patrocina escola de pilotos de Alexandre Barros


Alex Barros, ex- piloto da MotoGP e um dos maiores nomes da Motovelocidade mundial, dedicou-se desde de 2007 a um projeto para trazer ao Brasil uma escola de pilotagem com padrão internacional, o qual somente em 2010 tornou-se realidade com a criação de Alex Barros Riding School e patrocínio da BMW Motorrad Brasil, quem irá conceder as motos para o próprio Alex Barros e demais instrutores, durante todo o curso.

Dividido em 3 módulos e com valores que variam de R$ 3.500,00 a R$ 4.500,00, o curso será ministrado no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Na pista de Interlagos os participantes do curso poderão conferir a BMW S 1000 RR, a super esportiva motocicleta da BMW Motorrad e a mais potente do segmento, a qual é equipada com um motor de quatro cilindros em linha, de 142 kW/193 CV e apenas 204 kg (183 kg a seco, 206,5 kg com Race ABS).

Mais sobre Alex Barros Riding School: www.alexbarros.com.br ou pelo telefone (11) 3055-1399.






Café Racer


Um estilo que particularmente me agrada muito são as Café Racer dos anos 50, com seus semiguidões e rabetas caracteristicas.

Naquela década os jovens motociclistas britanicos se reuniam nos cafés a beira da estrada e depositavam uma moeda na jukebox para ouvir o recém criado rock’n’roll, além de tirar rachas que duravam o tempo exato de uma musica, (as famosas “record races”).

Hoje em dia, com a potencia e velocidade das motos ultrapassando a casa dos dois digitos e com os tocadores digitais substituindo as jukebox os motociclistas perderam o glamour daquela imagem marginal tão disputado pelas meninas da época, mas a influência continua com certeza.

Não foram só as marcas inglesas que tiveram suas café racer, foi um estilo que influenciou e influencia até hoje e que particularmente me agrada muito.

Royal Enfield
Norton
Harley Davidson
Moto Guzzi
Benelli
Até a MZ, produzida na socialista Alemanha Oriental se rendeu ao estilo e teve a sua Café Racer

Harley Davidson Panhead


Passada a guerra, em 1946 a Harley Davidson lança a WR 750 " Flathead" que se mostrou uma das melhores motos de competição já construidas na época. Em 1948 foi adicionado melhorias nos motores 1000 e 1200, surgindo daí o motor "Panhead". Em 1950 , a H-D ganha 18 das 24 competições nos EUA e coloca 6 novos recordes nelas.


Os motores Panhead foram fabricados entre 1948 e 1965; vieram com variações de 990 cm3 e 1.200 cm3, capazes de produzir 50 e 55 cv respectivamente; o que diferenciava os panhead eram seus cabeçotes de alumínio e linhas de óleo internas, em oposição às linhas externas dos motores Knucklehead e 10 cv a mais.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Cerol Não


A Campanha Nacional "Cerol Não" continua orientando motociclistas sobre os riscos do acidente com o cerol e distribuindo gratuitamente adesivos para quem quiser, e faz isso sem nenhuma ajuda governamental, órgão federal, estadual ou municipal.

Quem quiser o adesivo basta entrar nessa pag (www.cerol.com.br/index2.php?pg=conteudo&idmenu=243) e sequir as orientações, a temporada de ventos e de papagaios já vai começar, não esqueçam de usar as antenas.



Uma vez quando o Ex-ministro da Saúde e Ex-candidato a Presidência da Republica "Serra" foi questionado por um reporter se a distribuição de preservativos no carnaval estava atingindo o objetivo, ironizando pelo fato de pessoas estavam as usando como balões de soprar ele disse na sua sabedoria imensa:

"Se salvarmos apenas uma vida, já valeu toda a iniciativa de gastar milhões."

Dafra Apache 150



Para quem já estava descrente, assim como eu, a Dafra finalmente pôs a venda em seu site a Apache 150, produzida pela TVS Indiana.



Lançada em outubro passado, no Salão Duas Rodas, a Apache 150 cc tem um visual muito mais atual e agressivo, além de um esmero técnico muito acima da média, o que aumentará a competitividade da marca nesse segmento.



A Apache será oferecida nas cores vermelha, preta, prata e amarela que na minha opinião é a mais bonita.

terça-feira, 16 de março de 2010

Poltrona


Queria uma dessas na minha sala...

sexta-feira, 12 de março de 2010

KTM 2-tempos



Aparentemente a KTM já tem um sistema de injeção eletrônica pronto para motos 2-tempos e depende do que acontecerá com relação às regras e regulamentos para produção, o que permitiria que equipes que não têm orçamento milionário possam competir contras as 4-tempos, segundo a própria KTM.


Quando se pensa que as motos 2-tempos vão deixar de ser produzidas, vem uma noticia como essa provando a eficiência e uma ótima relação custo-benefício além de uma menor custo de manutenção.





A injeção eletrônica nas motos 2-tempos de competição pode abrir espaço para seu retorno delas também as ruas, vou ficar aqui torcendo.

Fumaça azul sempre

quarta-feira, 10 de março de 2010

Dafra Kansas 150

A Dafra Kansas 150 é uma das poucas surpresas entre as motos chinesas, geralmente sem o menor apelo de qualidade ou estético.

Consolidando o segmento de motos custom de baixa cilindrada segmento esse que já teve nos anos 70 a Harley Davidson Motovi 125 (tecnologia Aermarchi) e a Yamaha RX 180, atualmente dentre outras tem na Suzuki Intruder seu maior expoente mas com um design muito tímido ao contrário da Kansas que tem muita personalidade e um desenho clássico harmonioso.

A Dafra Kansas oferece bom nível de acabamento, lampejador de farol alto e pisca-alerta, ambos no punho esquerdo, rodas de liga-leve, partida elétrica, suspensão da grife Showa, freio a disco na dianteira, motor de 150 cm³, bancos individuais e bagageiro para transportar pequenos objetos, que também serve de apoio á garupa.

Chama atenção o desenho da rabeta e a ousadia da marca em adotar uma cor forte, que faz a Kansas se diferenciar da multidão de motos, além de uma relação custo-benefício extremamente favorável.

A Kansas deixa a desejar nos poucos acessórios oferecidos, quem compra uma moto custon, gosta de equipá-la, e os adesivos poderiam ser mais elaborados, as letras do nome kansas ficam soltas no tanque, além do que é pratica, colocar o nome da fabrica no tanque e o modelo na tampa lateral, na Kansas isso é invertido, a falta do contagiros é sentida.

O sucesso da Kansas é tão grande que a Dafra iria lançar a custon 250 com nome de Horizon, preferiu manter o nome da 150.

Com a parceria da chinesa da Zongshen (marca que produz a Kansas) com a Kasinski, a Kansas, passa a ser comercializada com o nome de Kasinski Mirage 150 com pequenas alterações. Espera-se que a Dafra arrume uma substituta a altura e mantenha o nome do seu grande sucesso.

Seja Dafra Kansas ou Kasinski Mirage é inegável o sucesso e a presença nas ruas.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Triciclo Renha

Lançado no final da década de 70, o Tricilo Renha foi um dos precursores nesse segmento, fabricados no Rio de janeiro por Paulo Sérgio Renha.

Foi o primeiro a ser produzido em série, utilizava o motor VW 1600 a ar, chegavam a 150 km/h.



sábado, 6 de março de 2010

QUAL A CATEGORIA DA SUA MOTO?


Mais uma enquête:

Desta vez para saber qual a categoria de moto dos freqüentadores do blog.

QUAL A CATEGORIA DA SUA MOTO?

Sport, Naked, Custon até 300 cc, Big Custon, Street até 150 cc, Street até 300 cc, Street acima de 300 cc, Scooter até 200 cc, Big Scooter e Trail

Eu tenho uma MZ RSJ 250 uma Street até 300 cc,, 1986, precursora dessa categoria no país, que foi consagrada quase 20 anos depois com a Honda Twister e Yamaha Fazer.

Fbmmotos – enquete


Acabou a primeira enquete do blog. Claro que não entraram as marcas óbvias, mas sim as mais charmosas marcas mundiais. Tratando de marcas européias mostrou um pódio diferente do que estamos acostumados a ver. Apesar da BMW ocupar o mais alto lugar do pódio ela o dividiu com marcas que não costumam frequentar as páginas das revistas e sites pasteurizados de moto.



Tanto a MZ quanto a Jawa possuem atributos e produtos revolucionários que asseguram a primeira divisão das marcas que fizeram história no motociclismo mundial e os frequentadores do blog sabem disso, depois dessa enquete isso ficou comprovado.




As quatro fabricantes com certa purpurina, BMW, Ducati, Triumph e KTM tiveram 77 votos contra 97 das demais, sinal que os nossos (e)leitores estão em sintonia com o nosso papel que é o de popularizar as marcas mais conhecidas e respeitadas mundo afora, independente do sucesso comercial. Maquinas como Jawa e Moto Guzzi tem uma legião de fãs ao redor do mundo em função da qualidade, durabilidade, inovação, charme e tradição.





Agora quanto a análise é por país encontramos os fabricantes italianos com 67 votos, seguido da Alemanha com 53 e a República Tcheca com 21 votos, mostrando que a Itália tem muitos fabricantes que produzem poucas motos mais com arte. Várias dessas marcas estão hoje sobre a chancela da Piaggio e esperamos que a pequena filial carioca possa virar um gigante de duas rodas no mercosul em breve.