quarta-feira, 28 de novembro de 2012

The Best of British


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Gorilla e ST retrô

A Drop está trazendo para o Brasil uma réplica da Honda Gorilla dos anos 1970, e afirmou possuir grande estoque de peças, opção para quer quer uma moto retrô, e pode ser uma opção de peças para quem está restaurando uma original.

Ela promete trazer no fim do ano a ST retrô.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Salão da Motocicleta 2012

O Salão da Motocicleta, que existe para preencher a lacuna dos anos pares, alternando com o Salão Duas Rodas mais antigo, não teve o brilho das primeiras edições.

Yamaha, Honda e Harley Davidson  não compareceram e foram apenas representadas por grandes concessionarias das marcas, Suzuki, Dafra e Kasinski nem isso.
A melhor surpresa ficou por conta da concessionaria Piaggio, que está de volta ao país, mais uma vez, esperamos que definitivamente, a marca apresentou scooter e triciclo Vespa.

A Moto X apresentou sua 250cc confirmando a tendencia de se trazer da china motos de maiores cilindradas, apesar de não estarem presentes no salão já estão a venda no país motos chinesas de até 450cc, e começam avançar no mercado de motos de media cilindrada

Marcas chinesas também estavam presentes, a Lifan que já exporta para o Brasil para outras montadoras trouxe a Pony, que chega a ser interessante, apesar de ser diferente do que estamos acostumados.

O Salão Bike Show, que acontece no RJ em janeiro, exibiu como demostração uma moto com side car, e motor Ford V8 302 (maverick) deu vontade de experimentar. 

Valeu pelo passeio.

MZ 1000S propagandas

Quando a propaganda é boa nem precisa texto, é o caso dessas duas da MZ com a Alemanha (Dog Alemão) superando o Japão (bonsai e samurai), um pouco distante da realidade dos dias de hoje, mas perfeitas.


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Um Autódromo em MG?


“Se nós juntássemos todas as pedras fundamentais de lançamentos de autódromo em Minas, já teríamos construído a pista.” A frase é de um dos mais destacados pilotos do estado, Toninho da Matta, e mostra a dificuldade para tirar do papel os vários projetos já feitos para o estado.

Mas agora parece que vai; e seria em Curvelo, região central do Estado, a 170Km de Belo Horizonte.

Os integrantes do Moto  Clube 273 não estão medindo esforços pra construir um complexo que acolheria um circuito misto, um oval, pistas de kart e MotoCross, além de um pólo industrial, hotéis, condomínio, arena para shows e exposições e mesmo quadras esportivas, escolas e hospitais, Aí residindo o grande diferencial.

Será que agora vai? Fica aqui nossa torcida.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Motos da Ducati também serão montadas pela Dafra, em Manaus.

O sonho de muito entusiasta está prestes a se realizar. É quase certo que motos da Ducati já estão recebendo uma etiqueta “Feita no Brasil”.

 Depois de um “tour” de diretores da Ducati visitando as instalações de potenciais parceiros em Manaus alguns meses atrás (eles estiveram na Dafra, Sundown, Iros e Garinni), fontes confiáveis indicam que, assim como a BMW e MV Agusta, a marca italiana já definiu que montará suas motos em parceria com a Dafra, na Zona Franca da capital amazonense.

 Três motos da marca italiana — ainda não sabemos quais eram os modelos — foram vistas nas instalações da marca brasileira. Seriam os primeiros protótipos montados por lá? O trabalho conjunto entre os italianos da Ducati e brasileiros da Dafra já está bem avançado, e faltam definir alguns detalhes para anunciar oficialmente a parceHoje, os direitos de comercialização da Ducati no Brasil pertecem ao Grupo Izzo, que possui 8 concessionárias e oferece a linha completa da marca (Monster, Multistrada, Streetfighter, Hypermotard, Superbike e Diavel). Não se sabe ao certo quando o contrato entre as partes termina, entretanto, informações também confiáveis indicam que o acordo terminaria em cerca de dois anos e não seria renovado. Assim, a Ducati assumiria oficialmente sua operação no Brasil, mais ou menos como aconteceu recentemente com a Harley-Davidson. Que a Ducati buscava um parceiro em Manaus não é novidade.

Em junho de 2010, a superintendente da Zona Franca de Manaus, Flávia Grosso, assinou um protocolo de intenções com o governo italiano que abriu o caminho para maiores investimentos do setor de motos na capital do Amazonas. Na ocasião da assinatura, um dos integrantes da comitiva italiana era Masimo Casini, representante da Associação Italiana de Ciclo, Motociclo e Acessórios (ANCMA), que disse: “Estamos em fase avançada de negociações para que a Ducati possa se instalar em Manaus”. Em maior deste ano, em visita ao Brasil, o CEO da Ducati Gabriele Del Torchio, também confirmou que a marca montará suas motos na capital do Amazonas. Vamos aguardar. É uma excelente notícia saber que, em pouco tempo, teremos por aqui as fantásticas máquinas italianas a um preço ainda mais competitivo. A expectativa é grande!

 Fonte : Best riders

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

MZ 125 SF com válvula variável


 A MZ 125 SF com válvula variável foi apresentado hoje no International Motorcycle Scooter, a Feira de Motos  (INTERMOT) na cidade de  Colónia.
 A MZ mesmo insolvente, consegue com esta nova tecnologia, apresentar uma moto competitiva e capaz de atrair os investimentos necessários para tentar se reerguer.

domingo, 30 de setembro de 2012

Honda CB 1100 na Europa


A Honda lança na Europa a CB 1100, que ja vem sendo comercializada no Japão desde 2009, mesmo não tendo previsão para comercialização no Brasil, fica a expectativa.
   
Estilo retrô que agrada e prova que existe espaço para esse público, que eu meu incluo, uma Moto nova com personalidade. A releitura de um clássico 750 Four (7 galo)escapamento 4x1, porém com injeção eletrônica e freios C-ABS. O painel une harmonicamente o antigo e o moderno, com extremo bom gosto, conferindo a frente da moto um de seus pontos mais fortes, com setas cromadas mas em tamanho bem menor que sua antecessora dos anos 70. 
Uma moto clássica para quem gosta de moto de verdade.
 

Idas e vindas




Não é a primeira vez que a MZ apresenta problemas financeiros, e na semana passada foi decretada sua insolvência. Até a decisão final a produção vai continuar normalmente, como é esperado, para resolver o problema financeiro e preserva a maior parte dos empregos dos atuais 49 funcionários da empresa.


Após a queda do muro de Berlim, a empresa nunca mais viveu momentos de estabilidade, seu capital foi transferido para Malasia, e recentemente,  após o último anuncio de encerramento de suas atividades, seu capital foi repatriado e os atuais proprietários tem se esforçado para reerguer a marca e seu prestígio, voltando inclusive as disputas na moto GP, ainda sem grandes resultados.



A MZ foi uma das maiores fabricas de motocicletas do mundo na década de 20 do século passado, até a queda do Muro de Berlim a produção era de 85 mil motos por ano, vendidas em mais de 100 países.


A MZ atualmente comercializa Scooters,  produz motos elétricas e vem  trabalhando no desenvolvimento de veículos híbridos.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Exclusivas, italianas TM chegam ao Brasil


A TM Racing é uma fabricante italiana de motocicletas que nasceu em 1976 na cidade de Pesaro com a junção de dois amores: as motos do "Sr. Motor" e as competições do "Mr. Chassi" - apelido dado, respectivamente, para Flenghi Claudio e Battistelli Francesco, fundadores da marca. No ano seguinte, os dois amigos já tinham reunido tudo que precisavam e já estavam prontos para inaugurar a TM Racing, nome dado em homenagem aos seus filhos, Thomas e Mirko.

O sucesso da marca na década de 1970 foi grande e as motocicletas TM ficariam conhecidas por seu desempenho nos campeonatos mundiais de Enduro e Supermoto e também nas competições de Motocross espalhadas pelo mundo. "Nossas motos contam com componentes especiais como freios Braking, sistema de escape e ponteira de titânio/alumínio e peças produzidas em bloco único de alumínio usinado, que oferecem menor espessura e maior resistência", explica Renato Bastos, um dos responsáveis pela representação da TM no Brasil. "A operação teve início em junho e as primeiras 16 unidades a desembarcarem no Brasil já foram vendidas. O objetivo é comercializar outras 32 unidades até o fim deste ano", conta.

Foram apresentados quatro modelos - de dois e quatro tempos. A MX 250 para motocross e três para enduro (EN 250, EN 250 FI e EN 450 FI) receberam alterações para se adaptar ao nosso combustível e estilo de pilotagem. Entre essas mudanças está a adoção da partida elétrica em todos os modelos quatro tempos, ajustes no câmbio e suspensões. Os preços das motocicletas variam entre R$ 28 mil e R$ 32 mil.

Pós Venda

A exclusividade da marca TM também é percebida na hora da compra, pois o interessado terá certa dificuldade em encontrá-la. Segundo os importadores independentes, existem revendas parceiras no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Essa rede será responsável pela venda, pós venda e reposição de peças.

Como diferencial, a moto traz uma central eletrônica capaz de oferecer uma leitura da condição de cada motocicleta. Parecido com um computador, o aparelho é plugado sob o banco e informa, por exemplo, quantas vezes a moto atingiu o giro máximo. Ou pode se conectar via internet com os engenheiros italianos se necessário. Essa tecnologia é proveniente da MotoGP e por enquanto há somente um aparelho aqui no Brasil, em breve haverão mais dois a disposição dos consumidores da TM Racing.

Mercado

Só para uma questão de comparação, a EN 250 foi vendida por R$ 28 mil. Sua principal concorrente na categoria, a KTM EXC 250 custa cerca de 25% mais. A incidência do IPI pode afetar diretamente os modelos da TM Racing. "O governo tentou atingir as 50 cc do Nordeste e acabou acertando também as motocicletas off-road importadas", constata Renato Bastos. Assim, com a taxação imposta pelo Governo, ainda não há uma tabela de preços oficial para o segundo lote de motos TM que chega ao País.

Fonte: iCarros

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Empresa cria moto "Defensor" para homenagear Ayrton Senna

  
A paixão por Ayrton Senna não está restrita ao público brasileiro, como mostra a última criação da oficina DP Customs. Localizada no Arizona, Estados Unidos, e especializada na customização de motos, a empresa produziu uma máquina em homenagem ao ex-piloto brasileiro. Chamada de "Defensor", o modelo se destaca por ter as cores do capacete do tricampeão mundial de Fórmula 1. 
 
Segundo seus criadores, Senna foi "um de seus heróis, uma verdadeira lenda das corridas". Feita toda artesanalmente, a moto possui conjunto minimalista. As rodas raiadas são de aro 19" (dianteira) e 16" (traseira). 
 
A traseira não possui suspensão e o amortecimento de impactos fica por conta de molas sob o pequeno assento. O motor utilizado é um bicilíndrico Harley-Davidson de 1.000 cm³. 

 Fonte: G1 Motos

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Policia em duas rodas - Turquia

Navegando pela net, procurando uma foto que acabei não encontrando, me deparei com um site com mais de 100 fotos de motos policiais de vários países. Grande variedade de  modelos e marcas, de baixa e de alta cilindrada, realmente muito interessante. Vou postar um país em cada post, que é pra vocês irem ficando com água na boca.

E para começar a Turquia, que entre outras conta com MZ 1000S, uma moto rara, ainda mais na policia.



segunda-feira, 23 de julho de 2012

Red Wheels


Cuba é conhecida internacionalmente por seus carros americanos da década de 50, anteriores a revolução cubana, todos funcionando, alguns são verdadeiras joias, o que transforma toda a ilha num verdadeiro museu vivo ao ar livre e em movimento.
 
Mesmo sem tanto reconhecimento no antigomobilismo, Cuba também abriga um significativo número de viaturas Red Wheels, (veículos produzidos nos países do COMECOM, antigo bloco comercial dos países comunistas).
Agravado ainda por um Bloqueio econômico imposto pelos EUA e sistematicamente condenado pela ONU, não é difícil encontrar carros como Lada, UAZ, Trabant, Skoda, Dacia...As motos dominantes ainda são  Minsk,  MZ, Jawa, Ural, IZH..
 
Os Ladas soviéticos ainda são dominantes nas ruas de Cuba e além de carros particulares cumprem a função de táxis, ambulâncias e viaturas policiais.
Estimam-se 250.000 Ladas estão nas estradas, proporcionando uma ligação permanente entre a Rússia e Cuba.
Produtos dos países da cortina de ferro vêm despertando interesse entre colecionadores de antiguidade de todo o mundo, os veículos também vem despertando lenta, mas gradativamente o interesse pela sua raridade e excentricidade.
No Brasil, também temos nossos Red Whells desde os anos 50, alguns vieram por importadores independentes, outros para atender embaixadas, mas podemos destacar algumas marcas que vieram em maior quantidade ou representatividade, como os carros da   Lada, ARO (Cross Lander) e recentemente a Renault trouxe de sua subsidiaria (Romênia) o Sandero e Duster. Entre as motos, foram populares por aqui as Jawa, Minsk e MZ.