domingo, 30 de setembro de 2012

Honda CB 1100 na Europa


A Honda lança na Europa a CB 1100, que ja vem sendo comercializada no Japão desde 2009, mesmo não tendo previsão para comercialização no Brasil, fica a expectativa.
   
Estilo retrô que agrada e prova que existe espaço para esse público, que eu meu incluo, uma Moto nova com personalidade. A releitura de um clássico 750 Four (7 galo)escapamento 4x1, porém com injeção eletrônica e freios C-ABS. O painel une harmonicamente o antigo e o moderno, com extremo bom gosto, conferindo a frente da moto um de seus pontos mais fortes, com setas cromadas mas em tamanho bem menor que sua antecessora dos anos 70. 
Uma moto clássica para quem gosta de moto de verdade.
 

Idas e vindas




Não é a primeira vez que a MZ apresenta problemas financeiros, e na semana passada foi decretada sua insolvência. Até a decisão final a produção vai continuar normalmente, como é esperado, para resolver o problema financeiro e preserva a maior parte dos empregos dos atuais 49 funcionários da empresa.


Após a queda do muro de Berlim, a empresa nunca mais viveu momentos de estabilidade, seu capital foi transferido para Malasia, e recentemente,  após o último anuncio de encerramento de suas atividades, seu capital foi repatriado e os atuais proprietários tem se esforçado para reerguer a marca e seu prestígio, voltando inclusive as disputas na moto GP, ainda sem grandes resultados.



A MZ foi uma das maiores fabricas de motocicletas do mundo na década de 20 do século passado, até a queda do Muro de Berlim a produção era de 85 mil motos por ano, vendidas em mais de 100 países.


A MZ atualmente comercializa Scooters,  produz motos elétricas e vem  trabalhando no desenvolvimento de veículos híbridos.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Exclusivas, italianas TM chegam ao Brasil


A TM Racing é uma fabricante italiana de motocicletas que nasceu em 1976 na cidade de Pesaro com a junção de dois amores: as motos do "Sr. Motor" e as competições do "Mr. Chassi" - apelido dado, respectivamente, para Flenghi Claudio e Battistelli Francesco, fundadores da marca. No ano seguinte, os dois amigos já tinham reunido tudo que precisavam e já estavam prontos para inaugurar a TM Racing, nome dado em homenagem aos seus filhos, Thomas e Mirko.

O sucesso da marca na década de 1970 foi grande e as motocicletas TM ficariam conhecidas por seu desempenho nos campeonatos mundiais de Enduro e Supermoto e também nas competições de Motocross espalhadas pelo mundo. "Nossas motos contam com componentes especiais como freios Braking, sistema de escape e ponteira de titânio/alumínio e peças produzidas em bloco único de alumínio usinado, que oferecem menor espessura e maior resistência", explica Renato Bastos, um dos responsáveis pela representação da TM no Brasil. "A operação teve início em junho e as primeiras 16 unidades a desembarcarem no Brasil já foram vendidas. O objetivo é comercializar outras 32 unidades até o fim deste ano", conta.

Foram apresentados quatro modelos - de dois e quatro tempos. A MX 250 para motocross e três para enduro (EN 250, EN 250 FI e EN 450 FI) receberam alterações para se adaptar ao nosso combustível e estilo de pilotagem. Entre essas mudanças está a adoção da partida elétrica em todos os modelos quatro tempos, ajustes no câmbio e suspensões. Os preços das motocicletas variam entre R$ 28 mil e R$ 32 mil.

Pós Venda

A exclusividade da marca TM também é percebida na hora da compra, pois o interessado terá certa dificuldade em encontrá-la. Segundo os importadores independentes, existem revendas parceiras no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Essa rede será responsável pela venda, pós venda e reposição de peças.

Como diferencial, a moto traz uma central eletrônica capaz de oferecer uma leitura da condição de cada motocicleta. Parecido com um computador, o aparelho é plugado sob o banco e informa, por exemplo, quantas vezes a moto atingiu o giro máximo. Ou pode se conectar via internet com os engenheiros italianos se necessário. Essa tecnologia é proveniente da MotoGP e por enquanto há somente um aparelho aqui no Brasil, em breve haverão mais dois a disposição dos consumidores da TM Racing.

Mercado

Só para uma questão de comparação, a EN 250 foi vendida por R$ 28 mil. Sua principal concorrente na categoria, a KTM EXC 250 custa cerca de 25% mais. A incidência do IPI pode afetar diretamente os modelos da TM Racing. "O governo tentou atingir as 50 cc do Nordeste e acabou acertando também as motocicletas off-road importadas", constata Renato Bastos. Assim, com a taxação imposta pelo Governo, ainda não há uma tabela de preços oficial para o segundo lote de motos TM que chega ao País.

Fonte: iCarros